Opinião: “Uma história de superação e amor próprio que nos fascina”


A TVI emitiu esta terça-feira (17 de julho) uma reportagem muito íntima com o mundo dos travestis, dos transformistas, dos drag queens. Uma autêntica história de superação e amor próprios que vão muito além do raciocínio e da educação dada pelos nossos pais.

Todos os seres humanos nascem diferentes, a diferença deve ser encarada como algo muito positivo, como algo muito superador, inspirador, motivador e emocionante fascinante.

A educação dada pelos nossos pais é aquela em que a sociedade está presente. Ser-se obrigado a respeitar e a fazer vontade tudo aquilo que a sociedade exige de nós, nem sempre é encarado como algo positivo. Cada um tem as suas motivações, os seus fascínios, os seus encantos, e por isso a sociedade deveria encarar cada um como um indivíduo totalmente independente dos demais.

A liberdade diz que todos temos direito ao mesmo, mas nem sempre isso acontece. Infelizmente, muitas sociedades continuam a ser muito fechadas à inspiração, ao novo. O medo do novo não pode continuar a permitir que as pessoas deixem de ser elas mesmas.

A felicidade da sociedade não nos compete diretamente. Todos temos as nossas obrigações enquanto cidadãos de um estado, de uma região, do mundo. Essa obrigação dita que somos exclusivamente obrigados a prestar os nossos serviços mínimos para a melhoria do mundo e para a sua evolução. Não nos compete a nós intervir junto de certas pessoas na sociedade e lhes negar certos direitos, como a liberdade, o direito ao amor, o direito ao amor próprio, o direito à felicidade, o direito a ser-se como é.

Independentemente da orientação sexual de cada um, todos somos seres humanos e assim continuaremos a ser. Aqueles que mais amamos deveriam ter a capacidade de nos defender contra tudo e todos, da mesma maneira que fizeram quando nos magoamos quando éramos pequenos e não sabíamos andar, caminhar, correr, não sabíamos os perigos do mundo. Nós apoiar da mesma forma que fizeram quando algo estava mal, fosse na escola ou com algum amigo. De nos dar força para continuarmos a ser melhores como faziam quando queríamos certas coisas. Esse apoio incondicional, esse amor, desaparece do dia para a noite quando descobrem que somos diferentes. Não deveria ser assim, mas é, infelizmente, na maioria dos casos.

Os pais são o elo mais importante de um filho, daí a sua força, a sua proteção e o seu amor serem estritamente necessários para que a felicidade seja duradoura, pois um apoio incondicional destes, não deita qualquer um abaixo.

Não tenhas medo de seres diferente! Assume hoje mesmo aquilo que és pois, se outros o conseguiram e superaram-se a si mesmos, tendo lutado contra uma sociedade inteira, e terem ganho a guerra, luta com todas as tuas forças, porque a tua vida é muito importante. Há sempre alguém que te ama verdadeiramente e que não te quer perder. Pensa que a tua vida não está nas mãos da sociedade, mas a sociedade está nas tuas mãos. Só tu podes fazer essa mudança, tu com a tua vida linda.

Este texto de opinião foi escrito, tendo em muita consideração os relatos feitos na reportagem em causa, assim como noutros casos publicamente conhecidos. Este texto foi escrito na primeira pessoa por alguém, que não vamos divulgar, da comunidade LGBTQ. O LIVE orgulha-se de dizer que são todos bem-vindos, seja qual for a vossa bonita diferença.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close